"O Índice Geral de Cursos da Instituição (IGC) é um indicador de qualidade de instituições de educação superior que considera, em sua composição, a qualidade dos cursos de graduação e de pós-graduação (mestrado e doutorado). No que se refere à graduação, é utilizado o CPC (conceito preliminar de curso) e, no que se refere à pós-graduação, é utilizada a Nota Capes. O resultado final está em valores contínuos (que vão de 0 a 500) e em faixas (de 1 a 5)." (Via)

Abaixo, as únicas instituições que atingiram a nota máxima (5):

Image Hosted by ImageShack.us

E o ranking com as melhores no Estado do Paraná:

Image Hosted by ImageShack.us


Sermão do Véio: com o boom do ensino superior no Brasil nos últimos 15 anos, muitas instituições sem qualquer estrutura foram aparecendo e ofertando cursos sem qualquer condição de aprendizado. O IGC é uma maneira de avaliar a instituição e deve sim ser tido como referência e controle.

Contudo, como todo índice, pode ser manipulado, por os dados de avaliação não são uniformes e, pior, dependem de muito fatores disformes. Ex 1: se várias turmas se reunirem para "zeraram" o ENADE, a instituição pode ter uma nota péssima, mesmo sendo de boa qualidade. Ex 2: é certo que determinadas instituições focam seus trabalhos em determinadas áreas de estudo; dependendo de qual curso será avaliado, ela poderá ser beneficiado ou prejudicada.

Porém, reafirmo o raciocínio que o governo deve sim manter "rédias curtas" sobre estas instituições, especialmente sobre a "feira livre de diplomas".